Em seu segundo ano de existência, a Agência de Conteúdo ganha a sua primeira premiação jornalística com uma matéria sobre como a pandemia vem afetando os povos indígenas do Ceará

Indígenas Tremembé de Barra do Mundaú buscam passar a cultura ancestral às novas gerações | Foto: Luan de Castro Tremembé

Fortaleza – CE. A Agência de Conteúdo Eco Nordeste, que em 16 de novembro passado completou dois anos de existência, conquistou, na noite dessa segunda-feira (14), a sua primeira premiação jornalística: o 1º lugar na categoria Webjornalismo do 2º Prêmio MPCE de Jornalismo, com a matéria “Povos originários do Ceará lutam para manter a vida e a tradição“, com texto de Alice Sales, fotos e vídeos de Luan de Castro Tremembé, produção e edição de Maristela Crispim e edição de vídeo de Eduardo Queiroz. O Diário do Nordeste On-Line conquistou a segunda e a terceira colocações da categoria.

  1. Quero agradecer a cada comunidade indígena que nos prestou apoio e colaboração para a elaboração desta reportagem. O prêmio não é só meu e nem só da Eco Nordeste. É uma homenagem a cada indígena que, com muita bravura, busca espaço, respeito e seus direitos neste País. São os verdadeiros donos da terra. É também uma homenagem a cada vida indígena que padece no Brasil. Desejo que o Jornalismo siga dando voz a essas pessoas e as torne protagonistas da história. Um agradecimento especial ao Luan de Castro, jovem comunicador indígena que compôs a equipe de reportagem, com seu talento impresso em imagens.

Alice Sales
Colaboradora

Entre incêndios nas matas, lutas sangrentas pela demarcação de terras em um país cujo Estado negligencia a causa, e ataques que resultaram nos assassinatos impunes de lideranças indígenas, o ano de 2020 trouxe um temor tão ameaçador quanto tudo que os povos originários já enfrentam. Com capacidade de dizimar uma etnia inteira, o novo coronavírus chegou ao Brasil trazendo dor, incertezas, medos e esperança por dias melhores para os povos indígenas brasileiros.

A proposta da Eco Nordeste foi, a partir da escuta dos povos Anacé, Jeninpapo-Kanindé, Tapeba, Pitaguary, Tabajara e Tremembé, saber como a pandemia impactou os indígenas no Ceará. Para isso, foi necessário também ouvir o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) como agente de construção de uma política de apoio a esses povos, assim como outros atores envolvidos neste processo.

Estou muito, muito, muito feliz, principalmente por jornalistas que eu admiro muito já terem ganho este prêmio e por poder fazer parte disso tudo, mostrando a cultura do meu povo.

Luan de Castro Tremembé
Membro da Rede de Comunicadores Indígenas- Juventude Indígena Conectada

A Eco Nordeste produziu este material em homenagem a cada vida indígena que padeceu em decorrência da Covid-19. Prestamos nossa solidariedade a todas as famílias indígenas brasileiras e reiteramos a máxima de que cada vida indígena importa. Todas as imagens (fotos e vídeos) foram produzidas por Luan de Castro Tremembé, membro da Rede de Comunicadores Indígenas- Juventude Indígena Conectada, uma forma de valorização da cultura local e de preservação das aldeias da presença de estranhos em meio à pandemia.

Vencedores

Jornalismo Impresso

1º lugar: Jéssica Welma – Diário do Nordeste – “MP já acionou mais de 80 prefeituras para fiscalizar uso de recursos”

2º lugar: William Santos – Diário do Nordeste – “MPCE investiga suspeitas de propaganda antecipada na pandemia”

3º lugar: Alessandra Castro – Diário do Nordeste – “Pelo menos 11 cidades do CE são alvos de ações contra crimes eleitorais”

Telejornalismo

1º lugar: Suely Frota – TV Assembleia – “Preservar vidas, garantir direitos: a atuação do Decon em tempos de pandemia”

2º lugar: Danielle Campos – TV Fortaleza – “O novo normal e suas ressalvas”

3º lugar: Alessandro Torres – TV Globo – “Número de adoções de crianças e adolescentes cai 80% durante a pandemia”

Radiojornalismo

1º lugar: Fátima Abreu – Rádio FM Assembleia – “Vidas Preservadas – um olhar para a pandemia”

2º lugar: Roberta Farias – Rádio FM Dom Bosco – “Solidariedade que transforma: o desafio de ajudar quem mais precisa na pandemia”

3º lugar: Antônio César Evangelista – Rádio A Notícia do Ceará – “A sós: os moradores em situação de rua em meio à pandemia e a atuação do Ministério Público

Webjornalismo

1º lugar: Maristela Crispim – Eco Nordeste – “Povos originários do Ceará lutam para manter a vida e a tradição”

2º lugar: Emanoela Campelo – Diário do Nordeste On-line – “Falta de EPIs prejudica necropsias e atrapalha investigações no CE”

3º lugar: Nícolas Paulino – Diário do Nordeste On-line – “Coronavírus: Ministério Público cobra medidas de hospitais privados de Fortaleza durante pandemia”

Fotojornalismo

1º lugar: Fábio Lima – O Povo – Foto: “A vida na rua durante a pandemia”

2º lugar: Jarbas Oliveira – Diário de Pernambuco – Foto: “Covid Fortaleza”

3º lugar: Natinho Rodrigues – Diário do Nordeste – Foto: “Se elas e eles sumirem”

Acadêmico

1º lugar: Nathaly Kimberly – Universidade Federal do Ceará – “Covid-19: a invisibilidade da pessoa com deficiência”

2º lugar: Lara Elise Silveira – Centro Universitário 7 de Setembro “Ética e Justiça: luta por direitos em tempos de pandemia”

Sem Comentários ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para o conteúdo