FOTOS: MARCOS VIEIRA

uma imersão fotográfica na cultura Tremembé 

juntos somos

FORTES

IANDÊ Á’TÁ JOAJU significa  juntos somos fortes  em tupi-guarani e é o título da exposição  do fotógrafo cearense  Marcos Vieira

Macione Tremembé

A amostra é resultado do trabalho realizado pelo autor, que passou três meses com o Povo Originário Tremembé da Barra do Mundaú, no litoral oeste do Ceará

Adriana Tremembé

José Silvestre Tremembé

Por meio de fotografias, a exposição traduz elementos  significativos do modo de vida e visão de mundo do povo Tremembé

Durante a experiência de imersão na cultura indígena do povo Tremembé, três fatores chamaram sua atenção:

Ritual sagrado durante a festa do Murici e Batiputá

Louro Tremembé

1. Há um desconhecimento da existência de indígenas na região norte do Ceará por grande parte da população local, regional e nacional

Evilano Tremembé 

2. A luta pela demarcação de terras e contra a especulação imobiliária nos 3.580 hectares reconhecidos pela Funai como de posse permanente dos Tremembé

Murici e Batiputá, frutos  sagrados para os Tremembé

3. A tradicional Festa do Murici e do Batiputá que ocorre anualmente e celebra a colheita dos frutos

Maria Juliana Tremembé

A obra propõe uma reflexão sobre as populações indígenas e evidencia as realidades de opressão e etnocídio desses povos em terras brasileiras

Mateus Tremembé

As imagens da exposição foram selecionadas pelos próprios Tremembé, para garantir representatividade e fortalecer o sentimento de pertencimento

Ezequiel Tremembé

“As fotos de Marcos Vieira captam a essência da nossa história, de quem somos nós, onde e como vivemos, nossa organização, união e cultura”